Monitoramento dos Aqüiferos

Monitoramento do Aquífero Termal

Os Aquíferos Termais da região são monitorados constantemente, visando a sua preservação.

São feitos levantamentos do volume de água bombeada, temperaturas, nível estático, nível dinâmico, pressão do Aquífero Paranoá e medidas pluviométricas como: precipitação, velocidade do vento, temperatura do ar, umidade relativa, radiação solar, luminosidade e cálculo de evapo-transpiração.

Todo poço termal em produção em Caldas Novas possui uma cota de água a ser explotada, definida por fórmulas matemáticas que prevêem a não interferência entre os poços. Além disso, são dotados dos seguintes instrumentos:

Casa metálica de proteção.
Hidrômetro para medida da quantidade de água bombeada.

Tubulação lateral para condução de medidor de nível estático e dinâmico.

Saída lateral para coleta de água a ser analisada.

Saída lateral para aferição dos hidrômetros.

O monitoramento dos poços, realizado mensalmente, tem hoje a coordenação do Departamento Nacional da Produção Mineral – DNPM – 6º Distrito, com a ajuda da AMAT.

O monitoramento das condições meteorológicas é feito de forma ininterrupta através da estação da AMAT instalada no topo da Serra de Caldas Novas.

O cronograma mensal dos dias das medições de vazões, níveis e temperaturas para o ano de 2015 é o seguinte:

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Dias 07 04 04 08 06 10 08 05 02 07 04 02

(*) ATENÇÃO – Novas Orientações:

Manter, obrigatoriamente, as BOMBAS LIGADAS das 08:00 horas até às 14:00 horas (ver o dia na tabela acima) e, obrigatoriamente, DESLIGADAS a partir das 20:00 horas até as 08:00 horas do dia seguinte.

Obs.: O funcionamento ou não da bomba no período de 14:00 às 20:00 ficará a critério de cada minerador, podendo a bomba ficar ligada ou desligada.

O nível estático do Aquífero Araxá, a partir do bombeamento dos poços, teve uma queda constante até atingir a cota 617 metros no ano de 1996. Naquela época, toda a água potável da cidade era proveniente dos poços termais.

Iniciou-se então a substituição dos poços termais pela água tratada proveniente do Ribeirão Pirapitinga e um maior controle na quantidade de água bombeada dos poços termais das mineradoras.

Com estas medidas o nível de água do Aquífero Araxá subiu de 617 metros em janeiro/1996 para 653 metros em abril/1998 (elevação de 35 metros), conforme mostrado no gráfico atualizado a seguir: